segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

2ª SÉRIE: DINÂMICA DA POPULAÇÃO E A URBANIZAÇÃO: AULA 4

CRESCIMENTO POPULACIONAL OU DEMOGRÁFICO

Questão debatida desde meados da década de 1970. As altas taxas de natalidade assustavam e faziam governos e sociedades discutirem a respeito dos recursos naturais necessários para a sobrevivência da crescente população, no início do século XXI, hoje a questão é: como as previdências sociais sobreviverão caso as taxas de natalidade se mantenham baixas e a expectativa de vida alta. O crescimento da população mundial é desigual no tempo e no espaço. Países desenvolvidos têm pequeno crescimento vegetativo, pois já completaram sua transição demográfica.

Alguns países subdesenvolvidos iniciaram essa transição, outros ainda dependem do desenvolvimento sócio-econômico para realizá-la.

TEORIAS DEMOGRÁFICAS




O atual ritmo de crescimento da população mundial tem data de caducidade, pois os países em via de desenvolvimento completarão a transição demográfica e acabarão desfrutando de taxas de natalidade e mortalidade semelhantes a dos países desenvolvidos. A catástrofe malthusiana não acontecerá. Segundo a ONU, se os países pobres acelerarem o ritmo, no ano 2050 terão no planeta de 7.5 a 11 bilhões de habitantes. As principais correntes demográficas são:

Malthusianismo: No final do século XVIII, Thomas Robert Malthus, lançou a teoria de que existência da miséria e das enfermidades sociais se devia ao descompasso entre a capacidade de produção de alimentos, em progressão aritmética (1, 2, 3), em relação ao crescimento populacional em progressão geométrica (1, 2, 4, 8,16). Malthus propôs: que só deveria ter filhos quem pudesse criar, e os pobres deveriam se abster do sexo; que o estado não cuidasse da saúde das populações pobres. Sem "obstáculos positivos" (guerras, epidemias) esse descompasso, geraria o caos. Malthus errou, pois a tecnologia possibilitou um aumento exponencial na produção de alimentos, a população se estabilizou nos países desenvolvidos e cresceu menos nos subdesenvolvidos. Se há fome no mundo, não é por falta de alimentos ou excesso de pessoas, mas pela má distribuição e destinação.

Neomalthusianismo: Após a 2ª Guerra Mundial o crescimento populacional acelerado nos países subdesenvolvidos despertou aos adeptos de Malthus (neomalthusianos). Segundo eles, a pobreza e o subdesenvolvimento seriam gerados pelo grande crescimento populacional, sendo necessárias políticas de controle de natalidade.

Reformismo ou marxismo: Os demógrafos marxistas consideram que é a própria miséria a responsável pelo acelerado crescimento populacional, por conta disso, defendem reformas sócio-econômicas para a melhoria do padrão de vida das populações dos países subdesenvolvidos, que levaria ao planejamento familiar espontâneo e a redução das taxas de natalidade e crescimento vegetativo.

Ecomalthusianismo: Hoje há os ecomalthusianos, que defendem a tese de que o rápido crescimento populacional geraria enorme pressão sobre os recursos naturais, e sérios riscos para o futuro.



EXERCÍCIOS (RESPONDA NO CADERNO):

1. O que é o crescimento populacional?

2. Em que se baseiam as Teorias Demográficas?

3. O que é:
a) Malthusianismo?
b) Neomalthusianismo?
c) Ecomalthusianismo?
d) Reformismo marxista?

Nenhum comentário:

MSN

Indicador de Status

ESTATÍSTICA