terça-feira, 11 de junho de 2013

RESUMO DE Geografia Urbana – A GEOGRAFIA DAS CIDADES

A Geografia Urbana é o ramo da Geografia que tem como objeto de estudo a cidade e seu processo de produção urbana: sua reprodução, como as pessoas se aglomeram sob as lógicas sociais, produzindo tecidos urbanos. A sucessão dos tempos faz com que diversas lógicas sobrepostas estejam em um mesmo espaço.

 

CONCEITO DE CIDADE


Uma cidade é uma área urbana, designa uma área de urbanização contígua ou uma única municipalidade. Não há um padrão mundial que defina uma cidade. A ONU considera cidade uma área urbana com mais de 20 mil habitantes.

TIPOS DE CIDADES

As cidades podem ser classificadas:

Quanto ao sítio: sítio urbano refere-se ao local no qual está a cidade, leva-se em consideração a questão topográfica, como: uma planície, um planalto, uma montanha, etc.

Quanto à situação: situação urbana corresponde à posição que ocupa a cidade em relação aos fatores geográficos, como: cidades fluviais, marítimas, entre o litoral e o interior, etc.

Quanto à função: função corresponde à atividade principal desenvolvida na cidade, como: cidades industriais, comerciais, turísticas, portuárias, etc.

Quanto à origem: podem ser planejada ou espontânea, como: Brasília, cidade planejada e Belém, cidade espontânea.

URBANIZAÇÃO

A urbanização é a transferência de pessoas do meio rural para o urbano. Sua outra face é a metropolização. Existem diferenças fundamentais no processo de urbanização de países desenvolvidos e subdesenvolvidos. 

Em 1900 existiam no mundo dezesseis cidades com população superior a um milhão de habitantes e só Pequim e Calcutá no Terceiro Mundo, em 1950 havia vinte com população superior a 2,5 milhões de habitantes e só Xangai, Buenos Aires, Calcutá, Bombaim, Cidade do México e Rio de Janeiro no Terceiro Mundo, em 2000, das 26 com mais de 10 milhões de habitantes, vinte são do Terceiro Mundo, a maior delas é a Cidade do México, com 32 milhões de habitantes, São Paulo é a segunda, com 26 milhões de habitantes.

URBANIZAÇÃO EM Países capitalistas desenvolvidos

Urbanização lenta e mais antiga (devido às Revoluções Industriais) que possibilitou ao espaço urbano se estruturar, formando rede urbana densa e interligada; índices elevados de urbanização, estabilização entre 80 e 90%.

URBANIZAÇÃO EM Países capitalistas subdesenvolvidos
      
Urbanização recente, após a 2ª Guerra, acelerada e direcionada em para um número reduzido de cidades, gerando “macrocefalia urbana", rede urbana rarefeita e incompleta.

Nesse grupo, bastante heterogêneo, destacamos:

 Industrializados: recente e rápida industrialização; rapidíssimo processo de urbanização; falta de planejamento urbano e setores secundário e terciário precários, onde o Brasil se inclui. Problemas: favelas, subemprego, mendicância, criminalidade etc.

Não-industrializados: predomínio das atividades primárias, baixos índices de urbanização.
           
URBANIZAÇÃO EM Países SOCialistas

Pouco urbanizados, devido à planificação da economia, que tem influência na distribuição da população.
  
regiões e aglomerações URBANAS - 'mini-dicionário' urbano

São várias modalidades de aglomerações e termos cada vez mais comuns:

Rede urbana: formada pelo sistema de cidades, interligadas pelos sistemas de transportes e comunicações, onde fluem pessoas, mercadorias, informações, etc.

Metrópole: cidade principal ou cidade-mãe, a que possui os melhores equipamentos urbanos do país (metrópole nacional), ou de uma grande região do país (metrópole regional).

Hierarquia urbana: influência que exercem as cidades maiores sobre as cidades menores (metrópole nacional, metrópole regional, centro sub-metropolitano, capital regional e centros locais).

Conurbação: encontro ou junção entre duas ou mais cidades em virtude do crescimento horizontal, originando regiões metropolitanas.

Região metropolitana: conjunto de municípios conurbados a uma metrópole, com infra-estrutura e serviços em comum.

Megalópole: conurbação entre duas ou mais metrópoles ou regiões metropolitanas, encontram-se nos países desenvolvidos como: Boswash, nordeste dos EUA; SanSan, costa oeste dos EUA; Chippits, grandes lagos nos EUA; Tokaido, Japão; e a megalópole européia, áreas de vários países. No Brasil temos a megalópole Rio-São Paulo.

Megacidade: centro urbano com mais de dez milhões de habitantes.

Tecnopolo: cidade onde se desenvolvem pesquisas de ponta. Exemplos: o Vale do Silício na costa oeste dos EUA; Tsukuba, cidade japonesa, dentre outras. No Brasil, temos alguns tecnopolos localizados em especial no estado de São Paulo, como Campinas (UNICAMP), São Carlos (UFSCAR), e a própria capital (USP, etc.).

Cidade global: cidades que polarizam o país (elo entre o país e o mundo), possuindo o melhor equipamento urbano, concentrando as sedes das instituições mundiais, como: bolsas de valores, corporações bancárias, industriais, de comércio exterior, de serviços financeiros e agências públicas internacionais. Estão mais associadas ao mercado mundial do que a economia nacional.

Desmetropolização: diminuição dos fluxos migratórios em direção às metrópoles, se deve à desconcentração produtiva (empresas e indústrias, saindo dos grandes centros para cidades médias ou pequenas).

Verticalização: crescimento urbano que se manifesta através da proliferação de edifícios, demonstra valorização do solo urbano, quanto mais verticalizado, mais valorizado.

Especulação imobiliária: ato de deixar espaços urbanos desocupados a espera de valorização, gerando falta de moradias em locais bem localizados, e surgimento de favelas no derredor.

Condomínios de luxo: áreas fechadas, protegidas e bem estruturadas para a elite, frutos e reflexos da segregação social e econômica das cidades.

Favelas: áreas sem infra-estrutura e com problemas como o tráfico de drogas, parte da população é pobre e desempregada.

Problemas DAs Cidades

As cidades afetam o equilíbrio ecológico, social e econômico, drenando riquezas, acumuladas por uma minoria de privilegiados, gerando tensões e explosões de violência. 

Problemas Socioeconômicos: são: crimes, , o alcoolismo e o tráfico e consumo de drogas, pobreza e atritos entre diferentes grupos étnicos. Mais policiamento e cumprimento de leis poderia reduzir a criminalidade, mas é preciso debelar a pobreza e a desigualdade (com educação, emprego e moradia).

Problemas ao meio ambiente: cidades criam seus próprios microclimas, por causa materiais, como: concreto, asfalto e cimento, que absorvem a energia solar, aquecendo a cidade em relação a região rural (ilhas de calor) e lixo e carros poluem o solo e a atmosfera. Leis antipoluição, linhas de metrô e melhorias no transporte público, e destinação adequada para o lixo, seriam soluções.


Nenhum comentário:

MSN

Indicador de Status

ESTATÍSTICA